Atendimento
11 2284 1900

Notícia

Polícia apresenta chefe de quadrilha que fraudava seguradoras


Fonte: G1

A Polícia Civil apresentou nesta segunda-feira (22) o homem suspeito de chefiar uma quadrilha que fraudava seguradoras no interior de Minas Gerais. O suspeito, de 26 anos, foi detido na quinta-feira (17). Ele estava foragido no Rio de Janeiro e também pode responder por homicídio.

Com o homem foram apreendidos um computador, um notebook e documentos de pessoas que a polícia acredita terem sido vítimas de golpes. Ele foi ouvido na Delegacia Regional de Barbacena, sendo encaminhado em seguida para a cadeia de Prados.

Quadrilha

Quatro pessoas suspeitas de participarem de fraudes a seguradoras foram detidas no dia 10 de julho durante a operação “Fim de Linha”, da Polícia Civil. A ação foi conduzida pelo 13º Departamento de Polícia Civil em conjunto com as delegacias de Barbacena, Dores de Campos e São João del Rei. Dos quatro, três foram presos em Barbacena e um em Barroso.

O chefe do 13º Departamento de Polícia Civil, Saed Divan, explicou na ocasião que a quadrilha agia na região. “Faziam seguros de vida para pessoas simples e depois cometiam homicídios fazendo o crime passar por atropelamento por negligência, por exemplo”, comentou.

Homicídio

Na operação, a polícia apreendeu cheques, procurações e cartões em nome de outras pessoas, incluindo o documento de identidade de uma vítima de 27 anos, que morreu em maio de 2011. O homicídio ocorreu em Dores de Campos, no Campo das Vertentes. De acordo com informações da polícia, o jovem não tinha posses, mas detinha dois seguros de vida no valor de R$ 1,8 milhões. A favorecida desses seguros era integrante da quadrilha, que se apresentou após a morte da vítima como mãe de criação. Contudo, ela era desconhecida da família do mesmo.

A vítima foi convidada para uma festa na região da Caveira, local conhecido na cidade de Dores de Campos. Os suspeitos embriagaram o jovem, que tinha histórico de alcoolismo, a ponto de deixá-lo inconsciente. Pouco depois, ele foi encontrado na rodovia MG-440 apresentando politraumatismos graves por causa de um atropelamento provocado por caminhão.

Segundo Deyvis Andrade Oliveira, a suspeita foi registrada como mãe adotiva da vítima em um cartório. “Um homem se passou pela vítima no momento de fazer o seguro. A quadrilha utilizava todos os documentos originais”, acrescentou.

Outros crimes

Ainda de acordo com as informações da Polícia Civil, a quadrilha tem registro de envolvimento em outros crimes, como tentativas de homicídios e golpes em aposentados. Recentemente, o grupo atuou em Dores de Campos e as vítimas eram aposentadas pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS). “Faziam os aposentados assinarem documentos a favor de pessoas da quadrilha e faziam empréstimos. O aposentado só perceberia após dois, três meses, quando começa a vir descontos na aposentadoria”, explicou o delegado Deyvis Andrade Oliveira.

Já na cidade de Cristiano Otoni também está sendo investigada uma tentativa de homicídio de outra vítima que levou três tiros de arma de fogo. Os disparos foram feitos de dentro de um veículo que era conduzido por uma pessoa na companhia do líder da quadrilha.

As investigações apontam que o grupo contava com o apoio de terceiros que trabalham em vários setores como agências bancárias e cartórios.

Seguros